Casa Grande

Até onde vai esse fisiologismo?

Pelos primeiros passos do que se assisti no início dessas eleições é escancarado e exagerado o fisiologismo político dos partidos e seus representantes.

Sem mais nem menos, ouve-se a notícia de opostos se atraindo. Volta e meia, o destaque: ‘inimigos ferrenhos agora estão no mesmo palco ideológico’.

Até aí, tudo bem. Política é a arte de administrar conflitos, interesses. É a arte da soma.

O que não se pode, nem faz bem ao campo da democracia é a prevalecência de uniões pautadas com objetivos da conquista do poder pelo poder.

Qual o lucro que a população tem com esses “joguetes do poder”?

Fisiologismo é um tipo de relação de poder político em que ações políticas e decisões são tomadas em troca de favores, favorecimentos e outros benefícios a interesses privados, em detrimento do bem comum.

Essa política não é nenhuma novidade, não é algo novo. No entanto é importante que cidadãos e cidadãs estejam atentos nos políticos que adotam esse tipo de postura.

Essa é a velha política, e o povo brasileiro já foi vítima demais desse tipo de “carta programa”. É hora de sepultar, repudiar, e eliminar essas velhas práticas anti-republicanas.