Imperial

Rosas ganha apoio para o comando do PSB

Por Henrique Lima – Duas deputadas socialistas que eram para ser consideradas Rosas dentro da cúpula socialista se tornaram verdadeiros espinhos para o presidente estadual do PSB na Paraíba, Edvaldo Rosas. É que as duas começaram a ventilar uma mudança no comando da agremiação após Edvaldo ter sido alçado ao posto de Secretário do Gabinete Civil da gestão João Azevêdo (PSB). Mas, diferentemente da ala de saias do partido, os parlamentares da sigla levantaram a bandeira em prol da permanência de Edvaldo na direção da legenda, sobretudo para comandar a sigla para as eleições 2020.

Um deles foi o líder do Governo na Assembleia Legislativa da Paraíba, Ricardo Barbosa (PSB) que classificou o dirigente como melhor quadro em substituição a Rosas para chefia de Gabinete Civil.

“Ele não virará incompetente ou pouco proativo de uma hora para outra. O partido seguirá crescendo sob seu comando, espero, desejo, torço e defendo. Edvaldo tem uma experiência larga nas interlocuções políticas de todo estado, foi o melhor quadro que João poderia sacar em substituição a Nonato. Ele conta com toda minha solidariedade”, afirmou Barbosa.

A defesa foi endossada pela deputada Pollyana Dutra (PSB). A parlamentar classificou Rosas como companheiro “habilidoso”.

Outro que também saiu em defesa de Rosas foi o deputado licenciado Hervázio Bezerra (PSB), que  apontou Rosas como um dos responsáveis pela estruturação da sigla e lembrou que, desde seu comando, o partido só cresce.

“Eu, particularmente, respeitarei qualquer que seja a vontade da maioria, todavia temos que ter reconhecimento e acima de tudo respeito ao nosso companheiro Edvaldo Rosas que tem conduzido já aí, ao longo do anos, com competência, a estruturação, aliás, ele é um dos principais responsáveis pelo fortalecimento e pela estruturação do nosso partido a nível estadual”, ressaltou.

Para Hervázio, caso venha haver mudanças, os deputados e também a militância devem ter vez e voz para opinar sobre a mudança ou não no diretório estadual.

“O que houve foi a ascensão de Edvaldo Rosas para ocupar uma posição de destaque no Governo João Azevêdo e a manifestação extremamente legítima das deputadas Cida Ramos e Estela Bezerra, mas para que isso viesse ou venha a ocorrer, obviamente passa por uma reunião da executiva, ouvindo, inclusive, a militância”, arrematou.