Imperial

A ausência de Eduardo e a desarticulação da oposição

Um cenário foi criado e é real com a ausência do ex-prefeito Eduardo Brito. A oposição de Mamanguape, se é que ainda existe, não consegue se encontrar num rumo para 2020.

A desarticulação é total. Só no último mês, foram duas baixas importantes.

A retirada do nome do contador e coach – Fabrício Sales, como pré-candidato a prefeito, e a ida do vereador Neto Belino para os quadros socialistas.

Fabrício seria o que podemos chamar de, ‘o discurso técnico e polido’ entre os postulantes da oposição ao executivo. Agora restará uma lacuna.

Na Câmara, a oposição também perdeu um dos seus melhores discursos. Belino era sinônimo de equilíbrio e inteligência, e fazia uma oposição com coerência.

Parte desses desarranjos se dar exatamente pela falta da presença de um líder, papel que Eduardo Brito, sabia fazer muito bem quando o assunto era ‘arregimentar a tropa’.

Dedicado a sua mais nova profissão, a medicina, Carneiro não tem dado nenhum sinal de que pretende pelo menos, tomar o leme desse “skippers“.

Diante deste cenário, há quem diga que o bonde seguirá sem rumo e sem prumo ladeira abaixo, e as cenas dos próximos capítulos reservam novas ‘baixas’ no grupo que segue órfão desde o término das eleições de 2018.

A seguir, confira entrevista [arquivo] com Brito, em 2017: